domingo, 2 de julho de 2017

Sobre meu encontro com Cristo

"A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?" Salmos 42:2



Muitos me perguntam como era a outra vida, os motivos que me trouxeram para perto de Deus, e o porquê deu ainda manter textos deprimidos, fictícios sobre vampiros e bruxas aqui no blog, coisa que ficou na vida passada... É, essas são boas perguntas.
Bom, começando pelo último tópico, eu não me incomodo em deixar exposto as marcas do passado, ideias um tanto imaturas, tristes, deprimidas. Talvez isso possa mostrar para as pessoas que se encontram nessa condição de que a vida delas podem mudar sim, por que não? Na verdade, muitos amigos meus que conviveram comigo na época do rock n roll ficam admirados e felizes por me rever iluminada e cheia de vida, e percebem que uma vida com Deus só tem um resultado final: alegria eterna e esperança. Talvez isso seja o motivo deu ainda não ter tirado do ar nenhum dos meus textos "cavernosos".
Bom, agora sobre como era a outra vida... Bom, eu acho que isso é bem obvio. Algo que todo mundo pensa é que nós somos livres e que temos controle de todas as coisas, até de nossas vidas. É, eu também pensava assim. Me achava super potente, pensava que só quem precisava de Deus eram pessoas sem perspectivas ou que no mínimo não tinham opinião própria. Eu pensava como todo mundo da "nova era" pensa: lei do retorno, lei tríplice, lei da atração, positividade, etc etc etc. E o que me trouxe para perto de Deus foi...
Bom, o conhecimento das coisas de Deus veio desde pequena. Minha família é bem religiosa e muito fervorosa. Porém, o meu encontro particular com Deus aconteceu ainda em Brasilia, em 2014.
Houve um momento que tudo estava satisfeito. Minha vida financeira, minha vida secular, meus sonhos sendo realizados na capital, mas a alma... incrível como nada conseguia preenchê-la.
Como será que se enche uma alma? Bem, creio que só mesmo o criador dela poderia fazer algo extraordinário para responder isso, foi quando comecei a buscar a Deus ainda dentro de casa, com orações e leituras bíblicas. Uma luz começou a irradiar meu dia a dia, um preenchimento interno me fazia satisfeita, e a sede de Deus começou a aumentar. Mas era uma sede de alegria em poder buscar a Deus. Tanta gente lá fora morrendo em seu nome né? Ou sendo perseguidos por levar o evangelho aos quatro cantos da terra... Dai eu comecei a frequentar uma igreja cristã, e mesmo tudo dando errado em 2014 (que me fez voltar para Valadares em outubro do mesmo ano), minha alma estava leve e contente. Eu ainda não conseguia explicar, mas hoje entendo que uma vida sem Deus pode lá ter seus benefícios (?) ou não, contudo, uma vida com Deus é plena! E eu acredito que o sentimento de plenitude só Ele pode nos dar, até mesmo o significado de vida plena.
Quando Deus me alcançou com sua graça irresistível, Ele me injetou forças para que eu pudesse enfrentar todos os desafios que tenho enfrentado até hoje, ainda mais quando se diz do preconceito, a cristofobia, dizem que somos caretas, etc, mas nada paga essa felicidade, essa paz, essa honra em poder servir um Deus que vive, reina, que cuida de nós, que nos dá a direção segura e o melhor de tudo, Ele vai vir nos buscar!


"Converte-te a teu Deus, guarda o amor e o juízo e no teu Deus espera sempre". Oseias 12:6

Post dedicado a minha amiga de infância e irmã na fé, Giselle Simões. Te amo fii.